[Resenha] Dewey


Nome: Dewey, Um Gato Entre Livros
Autor: Vicki Myron com Bret Witter
Ano: 2008
Páginas: 272
Preço: R$17,50 (Submarino)



Sinopse:

Dewey – Um Gato Entre Livros é uma história real. E, por ser real, é tão comovente. Como pode um simples gatinho mudar a vida de toda uma cidade? Quem tem um gato em casa certamente não vai se surpreender. Quem não tem vai descobrir que, se os cachorros são brincalhões e animados, os gatos são carinhosos e companheiros. Foi assim que Dewey, um filhote abandonado e adotado por uma bibliotecária, tornou-se o mascote da cidade de Spencer, nos Estados Unidos.

Seu jeito de caminhar por entre os livros encantava adultos e crianças. Dono de um apurado sexto sentido, sabia escolher em que colo dormir todas as tardes – sempre de quem estava precisando de um carinho. Dewey virou um símbolo de amor e amizade para todos que frequentavam o local e, aos poucos, foi conquistando o país. À medida que sua fama se espalhava, Dewey se tornou um motivo de orgulho para Spencer e incentivou sua população a superar a maior crise econômica enfrentada na região em toda a sua história.


Resenha:

A rotina da pacata cidade de Spencer, Yowa, Estados Unidos, se transforma após Dewey, um gato, ser encontrado na Biblioteca Pública. A diretora da Biblioteca, que achou o gatinho na caixa de devolução, resolve contar a história e lança o livro, Dewey, Um Gato entre Livros. O livro escrito por Vicki Myron, com colaboração de Bret Witte é a história real de um gato que fez da biblioteca - e da cidade de Spencer- sua casa e de seus habitantes, os melhores amigos. Quando foi encontrado, Dewey, já dava sinais de sua gratidão para com aqueles que o acolheram. Mesmo com as quatro patas feridas - pelo frio, o que lhe causou sequelas - o gato olhou cada pessoa nos olhos, ronronou e acariciou as mãos.
          "Era como se ele quisesse agradecer pessoalmente a todos que conhecia por salvar-lhe a vida.”
A cada dia, Dewey foi sendo apresentado aos frequentadores da Biblioteca. Até que uma matéria na primeira página do principal jornal da cidade, de 10 mil habitantes, sob o título: "Perfeito acréscimo ronronante à Biblioteca de Spencer", gerou polêmica entre a população local. Houve quem dissesse que a presença do gato era prejudicial à saúde e outros comemoraram com grande exaltação, como as crianças e os amantes de gato. Mas, com o tempo todos se renderam ao charme e carisma de Dewey. Até o menino alérgico, que preocupava a mãe, voltou e com ela: enquanto ele filmava o gato, a mãe o fotografava. Desfilando entre as prateleiras, Dewey se tornou uma celebridade e conquistou o carinho da população de Spencer. Todos têm certeza de que Dewey ama todos do seu convívio.
Senhores só liam jornal quando Dewey estava sentado no colo, crianças só liam livros quando o gato estava próximo delas e, assim, a Biblioteca Pública de Spencer se tornou o ponto de encontro dos moradores. Todos queriam fazer doações para os cuidados com o gato e até o Conselho Municipal se encantou com o charme de Dewey. Segundo a autora Dewey revolucionou a vida de todos os moradores e também o progresso da cidade.
“Em 1988, quando o Dewey chegou, era inverno e parecia que a nossa cidade estava triste. Mas, com o passar do tempo percebemos que a cidade se encheu de alegria e que Dewey inspirou até o progresso da cidade". 
Dewey é um livro emocionante e surpreendente, porém a autora deixou o final bem enrolado e muito comprido – escreveu sobre como todos ficaram depois de Dewey, situação econômica da cidade e por aí vai. Para quem não é muito fã de gatos, eu adorei o livro, simplesmente incrível. Super recomendo para quem quiser um livro bom de ler, com palavras fáceis e uma história pra lá de envolvente.


Minha classificação: ★★★★

0 comentários:

Postar um comentário